Mudamos para www.tradutorprofissional.com

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Lilian Carmona, Profissional entre as Profissionais

Lilian Carmona é esta aqui. O vídeo é de uma de suas famosas oficinas de bateria e ela está na verdade dando uma demonstração de como o baterista dá conta de uns certos problemas no acompanhamento de uma “big band”. A parte da banda está sendo feita por um tecladista, por motivos econômicos. No auditório, estudantes, iniciantes e profissionais da bateria, que, no fim, agradecem a aula com aplausos. Além de professora de muitos e mestra de muitos mais, Lilian já tocou com muita gente ilustre, como você pode ver clicando aqui.

Uma vez, teve de acompanhar um cantor de boleros, já meio em decadência. Ora, pedir para a Lilian Carmona acompanhar cantor de bolero é algo como pedir a Haroldo de Campos que traduza livros de autoajuda. Mas a Lilian tinha uma obrigação a cumprir e, profissional entre os profissionais, foi lá e deu o recado direitinho. Numa entrevista, contou que não estava muito animada com a perspectiva, mas ao ver a felicidade dos casais dançando de rosto colado, casais para os quais muitos dos melosos boleros que ela não tinha em muito alta conta eram “a nossa música”, começou a ficar emocionada e a tocar com cada vez mais gosto. No fim, acabou sendo uma noite excelente, não pelo conteúdo artístico, mas pelo contentamento trazido à audiência.

A próxima vez que você tiver que traduzir um texto que ache desagradável, lá sei eu, Bianca, Sabrina e Júlia, ou autoajuda ou o que quer que você ache meio assim “sub”, pense na Lilian Carmona e na satisfação de quem vai ler o que você traduziu e capriche como a Lilian caprichou nos boleros. Aos poucos, agindo assim, aumenta sua satisfação com a profissão e a qualidade de seu trabalho vai melhorar.

2 comentários:

Ulisses Wehby de Carvalho disse...

Danilo,

Belíssimo texto! Parabéns. Permita-me complementar com a frase: "... a qualidade do seu trabalho vai melhorar e você terá mais oportunidades de traduzir o que gosta!" ;-) Valeu!

Abraços,
Ulisses

Igor Barca disse...

Eis o espírito. Queria ter ao menos um livro de autoajuda para traduzir... =P