Mudamos para www.tradutorprofissional.com

domingo, 15 de julho de 2007

Paga um e quer levar dois?

O cliente pede uma cotação, você dá, ele aceita e, quando você pensa que acabou a conversa, ele diz "você me entrega no pdf?". "Entregar no pdf" é um eufemismo para "fazer serviço de editoração eletrônica". É um serviço especializado, totalmente distinto do serviço de tradução. Exige programas especiais, como Adobe PageMaker, por exemplo, e mais uma carrada de outros aplicativos. E consome tempo, tempo que eu poderia usar para traduzir. Alguns tradutores são ótimos na editoração eletrônica, como alguns são exímios motoristas, cozinheiras ou trombonistas. Outros, como eu, nem chegam perto.

Não há nada de errado em prestar serviços de editoração eletrônica, como não há nada de errado em animar festas de aniversário ou ensinar línguas. Mas é bom lembrar que não faz parte integrante da tradução: é um serviço separado, independente e que, por isso, deve ser cobrado separadamente. Quer dizer, se você entende de editoração eletrônica, quando o cliente perguntar "você entrega no pdf?" a resposta é "claro, o serviço de editoração custa X". Não tenha medo de cobrar. Explique ao cliente que é igual a restaurante: filé simples tem um preço, filé com fritas tem outro.

O mesmo com atualização de documentos. Você faz uma tradução, dias depois vem o cliente e diz "tem umas alteraçõezinhas" e, geralmente, completa com "é pouca coisa, as principais estão aqui". Aí, eu pergunto: "é para fazer todas ou só as que estão nesta lsita?". O cliente costuma vir com mil evasivas, mas eu sou teimoso como uma mula: fico o pé e repeito, "não, desculpe, ainda não entendi, tem que fazer todas as alterações ou só estas aqui da listinha?" até ele desembuchar. Se ele disser que é só as da lista, então o preço é um, e talvez bem pequeno, dependendo do número de alteraçoes. Se ele disser que tem que fazer todas, então são dois serviços: o primeiro é identificar as alterações, o segundo é implantar. Para idetificar, precisa ler tudo, original e tradução, um trabalho fácil, mas que consome tempo, tempo que eu poderia usar para traduzir. Logo, hora por hora, preciso cobrar um preço que não me dê prejuízo. Então, a gente cota um preço para identificar as alterações. Identificadas as alterações, a gente cota um preço para a implantação. Para alguns serviços, a ferramenta de comparação do Word resolve o problema num instante. Entretanto, agora mesmo estou identificando as alterações a serem feitas em uma tradução feita por outro tradutor, com original em pdf. Não tem saída, tem que ler e cotejar e, princpalmente, não se esquecer de cobrar.

Por hoje é só, que eu tenho que voltar ao cotejo. Obrigado pela visita.

7 comentários:

Emilio Pacheco disse...

Acho engraçado é quando as alterações são totalmente inócuas, como trocar verbo por substantivo equivalente ou vice-versa. O cliente faz uma mudança mínima na forma da frase, sem alterar seu conteúdo, e pensa que vai refletir na tradução.

Agora, realmente, ter que comparar para achar as diferenças é complicado. Danilo, sugiro que você comente os trabalhos com formatação mais delicada. Arquivos em Power Point, arquivos em Word cheio de desenhos ou caixas de texto, enfim, trabalhos que exigem do tradutor um cuidado redobrado se quiser devolver um documento com a mesma "cara" com que recebeu.

Daniel disse...

Danilo, recebi uma mensagem do Tecla Sap, com uma matéria sua e achei legal pra caramba, sobre tradução. No entanto, gostaria de usar este para comenter uma coisa sobre a lista, pois acho que vc pode avisar o pessoal, já que eu tentei mas não consegui.
Os emails que recebo estão vindo com problemas de acentuação, já mudei a configuração, mas não resolveu. Se puder avisar aos organizadores da feedblitz, agradeço.
Daniel
unisinosmg@yahoo.com.br

Anônimo disse...

caraca, mas converter um doc para pdf é a coisa mais simples do mundo, nao exige tudo isso nao, vc baixa de graça na net... afe

Anônimo disse...

Danilo,

Uma linguagem polida seria mais agradável de ler e demonstraria consideração a vc e aos colegas. Pelo menos combina mais com o estilo do blog e com vc.
Usamos isso na tradução? Só quando o texto o exige.
E não custa assinar: é mais fácil do que baixar um arquivo ou um programa
Stella Machado

Anônimo disse...

Olá, Danilo!

Queria comentar o comentário da pessoa acima. Se a conversão é tão simples porque é que o cliente não baixa o programa da net e faz ele mesmo a conversão?

Nunca fiz a conversão nem a desconversão de documentos pdf e word, mas imagino que a diagramação ficará alterada ao passar de word para pdf??

Anônimo disse...

Pois é Danilo, essa história de evasivas do cliente, já me deu um prejuízo... O pior mesmo é ser engambelado por colega. Fora a raiva de se sentir enganado e tratado feito besta (para falar o mínimo)!

Abços!

Danilo Nogueira disse...

O fato é que converter word em pdf é simples, de fato. Aí é que está a mancada. É simples, a gente ouve que é fácil, pega um programa na web, grátis e manda ver — e aceita o serviço.

Depois descobre que o furo é mais embaixo."Entretar em pdf" é um eufemismo para "rediagramar o texto como estava no original" e essa tarefa pode ser terrível, dependendo da complexidade do original. Na maioria dos casos, exige uma passagem intermediária por programas especializados, como PageMaker ou InDesign, que poucos tem e muito poucos sabe usar. Pode exigir também fontes que poucos têm e habilidade com programas de ilustração.

Quer dizer, embaixo do angu tem muita carne.