Mudamos para www.tradutorprofissional.com

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Por que implico com o Dicionário Noronha?

Dizem que eu implico com o Noronha e quem sou eu para implicar com um dicionário desses escrito por um advogado famoso e tudo e eu sou um semiletrado que nem concluiu o curso médio nem nada porque foi expulso da escola porque era burro demais.

Então, abri o tal dicionário aleatoriamente e caí na página 144. Podia ser qualquer outra. Não faz muita diferença. Minha edição é a 3ª, de 1998 e a página 144 vai de hidden inflation até holiday. A página coisa de 60 verbetes, provavelmente a média do dicionário.

Não vou fazer comentários sobre a estrutura nem sobre as falhas de técnica lexicográfica. Mas vou apontar umas traduções com que, desculpem, não consigo concordar. Os verbetes sem nada a comentar não vão ser citados.

hidden inflation – inflação ocultada
• Deveria ser inflação oculta.

hidden tax – impostos ocultos
• Por que o plural?

high – alto, termo de endereçamento de dignidade
• Algém sabe o que possa ser termo de enderençamento de dignidade?

highest bidder – maior oferta
Bidder é o licitante, não a oferta. Deveria ser licitante que fizer a melhor oferta. Maior oferta é highest bid.

highway robbery – assalto, furto
• O highway significa que o ilícito se deu especificamente em estrada, informação que some na tradução.

historic site – bens pertencentes ao patrimônio público
• Sítio histórico, local de valor histórico. Nem todos os bens pertencentes ao patrimônio público são historic sites.

hobby losses – imposto sobre lucro que incide em atividade que não geral lucros
• O que é um imposto sobre lucro que incide em atividade que não gera lucro? Se a atividade não gera lucro, como pode estar sujeita a um imposto sobre lucro? Losses são perdas, não impostos. Neste caso, são perdas com atividades que não são exercidas profissionalmente.

hold responsible – ser responsável por
• Para mim, é responsabilizar por, o que é bem diferente de ser responsável

Oito cincadas dessas em menos de 60 verbetes, dá coisa de 13% de falhas. Quem conhecer direito melhor que eu talvez ache outras. Depois, dizem que eu sou implicante.

2 comentários:

Ana disse...

Esta é uma das falhas do Noronha e de outros dicionários da mesma cepa:

Nunca entendi por que há termos como to cultivate, cruel,gadget, galore, gate só pra ficar em alguns.

Se ele e seus colegas "dicionaristas" se ativessem a lidar apenas com os termos técnicos, teriam tempo para melhorá-los.

Tem muito absurdo jurídico por lá, um dia compilo alguns, ppalmente an parte português/inglês. Idem no concorrente, a Maria.

O problema destes "dicionários", que pra mim não passam de um glossário turbiando e encapado, é que os termos são jogados. Mesmo eu que conheço o assunto, preciso descobrir qual usar.

Mas o Noronha existe pra isso: ver para decidir que não vou usar.

Ana Paula disse...

Olá, Danilo,

Fui acompanhando seus comentários com o meu aqui e pensando nas expressões também e fiquei chocada ao perceber a quantidade de falhas. Realmente é muita coisa para um dicionário, ou seja, algo que deve nos auxiliar na tradução e não manchar nosso trabalho com erros. Vou aposentá-lo e analisar outro para comprar.

Obrigada!