Mudamos para www.tradutorprofissional.com

segunda-feira, 19 de março de 2007

Por que me apresento como "tradutor profissional"?

O trecho abaixo foi extraído de uma mensagem recebida há pouco. Como a mensagem me veio particularmente, não como comentário ao Blog, omito o nome do remetente.

Caro Danilo. Sou tradutor há não muito tempo e procuro me atualizar lendo blogs e eventualmente participando de grupos. Uma coisa que me chama a atenção partindo de alguns tradutores mais experientes é que eles se identificam com "tradutores profissionais". Normalmente a gente não houve falar de "médicos profissionais", "advogados profissionais" ou "professores profissionais". Será que isso denota uma necessidade de ainda temos que nos afirmar como profissionais (e não o somos?) e tendo que lembrar que vivemos exclusivamente disso? Ou será que o mercado ainda não nos vê como dignos de nos sustentarmos fazendo o que fazemos? Talvez seja apenas para nos diferenciarmos dos picaretas, mas eles existem em todas as profissões. De qualquer forma eu gostaria de ser apenas tradutor. E pronto.

Há uma distinção: não se pode ser advogado amador e, por isso, não pode haver advogado profissional. Sou tradutor profissional como há músicos profissionais, por oposição a músicos amadores ou semiprofissionais.

Assim como há excelentes músicos amadores e semiprofissionais, há excelentes tradutores amadores e semiprofissionais. Por isso, quando me digo profissional, não quero dizer que os amadores e semiprofissionais sejam uns incompetentes, mesmo porque há suficiente incompetência entre os profissionais.

Digo-me profissional para realçar o compromisso com a tradução, que exigiu de mim um investimento de tempo e dinheiro, investimento que amador algum pode fazer. Para deixar claro que traduzir não é algo que eu faça nas horas vagas, mas sim o que enche as horas do meu dia. Essa é uma distinção importante, principalmente para o cliente que tem um serviço grande e complicado, que exige recursos especiais de que os amadores não dispõem nem vão dispor, porque, financeiramente, é um despropósito investir o que eu investi para traduzir um par de horas por dia.

Como disse acima, há excelentes tradutores amadores e semiprofissionais. Mas há serviços que somente podem ser feitos por profissionais e, por isso, é bom deixar as coisas claras.

Você não perguntou, mas cada vez que alguém me pergunta se faço traduções, respondo sou tradutor profissional, se era essa a pergunta. Acho que o artiguinho que fica logo abaixo deste diz mais sobre o assunto.

34 comentários:

Fabio disse...

Danilo,

Achei boa a sua explicação de por que se autodenominar "tradutor profissional". A gente tem de fazer isso mesmo.

Por outro lado, concordo com o seu leitor quando ele diz "isso denota uma necessidade de ainda te[r]mos que nos afirmar como profissionais (e não o somos?) e tendo que lembrar que vivemos exclusivamente disso?". Só não concordo com o "e não o somos", pois aqui a afirmação não é afirmação para si mesmo (auto-afirmação), mas afirmação perante os outros, aqueles que perguntam "você faz tradução?" e pensam que estão lidando com um biscateiro.

Você está certíssimo quando diz e repete que o cliente precisa ser educado, e acrescento que a afirmação do tradutor como profissional faz parte dessa educação.

De minha parte, contribuo um pouco para a educação do cliente com uma seção tipo F.A.Q. no meu site: www.Fabio-Said-Tradutor.com/faq.htm. Não porque eu ache que o cliente seja um imbecil, mas porque informação e transparênca nunca é demais, né?

Abraço,

Fabio

Anônimo disse...

Cara Danilo

È verdade q temos essa necessidade de sermos reconhecidos como proficionais na aré em que atuamos, mas isso depende do esforço de cada um e principalmente na confiança em si mesmo.

Curso de tradutor
Kelly Ariane
RA: 064717

Anônimo disse...

Danilo:
Sou resgistrada no INSS como tradutora. Quando alguém me vem com aquele papo de "prendas domésticas", respondo: Tradutora. Nada tenho contra as donas de casa, mesmo pq sou uma e isso não me envergonha.
Faço questão de me apresentar como "tradutora profissional" para que as pessoas aprendam a tratar com seriedade a nossa profissão. Ou melhor: fiquem sabendo que É uma profissão.
Stella Machado

Carolina Silveira Nunes disse...

Danilo:

Infelizmente os tradutores profissionais têm de lidar com esse tipo de situação. Estou no quarto ano do curso de Tradutor/Intérprete e já lido com situações semelhantes. Já tive que ouvir: "Mas isso existe?", ou até "Dá pra viver disso?". Não gostaria de daqui algum tempo ter de me identificar como tradutora profissional, mas se ainda é preciso que isso seja feito pra que o devido valor nos seja dado, que assim seja.

Bruna Liliane disse...

Complicado é quando alguém se apresenta como "tradutor profissional" e na prática não faz jus ao título. Isso acaba "queimando" a nossa profissão. Fica difícil para um cliente saber quem é mesmo profissional ou não.
Cabe a cada tradutor fazer a sua autocrítica e também ao cliente ficar esperto em relação aos trabalhos já realizados pelo tradutor.

Michele Oliveira disse...

Ola Danilo,
lá vamos nós alunos de 2 ano de tradutor e Interprete do UNASP novamente...rsrs... acho que você vai enjoar um poquinho de nós mais como nossa teacher Ana Schaffer disse q deviamos vir aqui e comentar aqui estou eu,apesar que eu já tinha lido seu blog e seus comentarios na comunidade no orkut, adoro ficar fuçando e descobrindo coisas por lá e realmente tenho uma admiração pelo seu trabalho. Nessa caso de auto afirmação acho realmente ser algo necessario o tradutor mostrar e que seu trabalho nao é um passatempo é uma profissão séria;mais pouco conhecida, muitas pessoas quando eu digo que faço o curso de tradutor me pedem para explicar o que faz um tradutor em que area trabalha e por ai vai... por esse motivo que considero a auto afirmação de ser um tradutor profissional é importante. Seria esse mais um dos motivos pelo qual é preciso reafirmar o nosso compromisso com a tradução?

Cleberson Luiz de Paula Neves disse...

Caro Danilo.

Sou aluno do 2º Ano de Tradutor do UNASP. Agora compreendi de fato o termo "Tradutor Profissional". Devemos sim lutar para que possamos ser reconhecidos como profissionais. Claro, todo amador poderá chegar um dia a ser profissional, afinal de contas esse deve ser o objetivo. Conforme dito devemos nos tornar profissionais, sabemos que não é fácil, mas é isso que me impulsiona a ser melhor. Saber que um dia chegarei a ser um profissional. E o segredo para ser chegar lá é dedicação e pesquisa.
escreverei mais vezes... até lá.
Atenciosamente
Cleberson Luiz de Paula Neves

Anônimo disse...

Todos querem ser um tradutor profissional,mas alguns tem competência para isso e outros nem tanto,muitos falam tradutor profissional para realçar o compromisso,porém tem alguns que acham que isso é para fazer nas horas vagas e que não é profissão.


Curso tradutor e interprete
Vanessi Araujo
RA:041301

Anônimo disse...

Olá Danilo.
Na minha opinião todo tradutor quer ser um "tradutor profissional" porque algumas pessoas acham que traduzir é apenas um passa tempo e não uma profissão.

Meu nome é Fernanda da Silva Monteiro.Curso:Tradutor
RA:0062441

Sabrina Caroline Hostins França disse...

Caro Danilo.

Realmente você tem razão em realção ao profissionalismo,dedicamos muito tempo e dinheiro para conserguirmos chegar aonde queremos.
Tive uma experiência com relação a isso, tive que procurar um tradutor profissional para traduzir alguns documetos escolares, nao pôde ser qualquer um, achei isso ótimo, pois um amador pode traduzir uma música ou uma carta mas mas nunca algo jurídico.
Um abraço!

Mônica Sanchez disse...

O tradutor que gosta do que faz e fa juz á profissão e quer ser considerado um tradutor de nome, deve se dedicar e gostar do que faz, e ser conseiderado um tradutor profissional, é meio dificil de ser dizer, mas na minha opnião eu acho um excelente termo para se usar ao tradudor que ama o que faz.

Jairo Cesar Silveira disse...

Muito interessante a colocação feita sobre a questão do título que o tradutor se dá. E também é admirável os tradutores que se chamam de profissionais com todas as letras, como você Danilo. Pelo o que foi demonstrado em seu texto, você conheceu sua capacidade e tem autoridade para dizer isto. Porém, também existem os que mal começaram sua carreira, tiveram pouco experiência real no mercado de trabalho e já se chamam de profissionais.
Você acha que existe a possibilidade de uma pessoa inexperiente se dar ao luxo de intitular-se profissional, Danilo?

Anônimo disse...

Confesso que quando comecei a me interessar por tradução tive a mesma dúvida que esta pessoa que te enviou a mensagem. Agora entendo que o Profissional dedica sua vida pelo ato de traduzir, ato este que o Profissional faz com seriedade resultando em um trabalho confiável.

Marco A.Azevedo - Unasp

Lilian de Azevedo Zanin disse...

Danilo,
Obrigada pela resposta no e-talk.
Somos do 2º ano de tradutor da Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus Engenheiro Coelho).
Os que comentaram acima, só não conheço esse Fábio, os demais são todos daqui também.
Acredito que dizer-nos tradutores proficionais seja uma ênfase necessário. Até porque mostrar que não é um passatempo dá credibilidade ao tradutor, afinal, se essa é sua profissão e ele recebe por isso, ele tem um compromisso com o que traduz, e não o fará de uma forma irresponsável.
Nesse sentido acho que concordamos plenamente.
É bom saber que tem muita gente que concorda com isso, é bom saber que não somos os únicos.
Bom, creio que seja isso...
Novamente... muito obrigada por sua atenção, e seu blog está muito legal...

Lilian de Azevedo Zanin disse...

Olá (de novo) Danilo,
Como a Michele já disse somos o segundo ano de Traduror e Intérprete do Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo - Campus Engenheiro Coelho), e conheço praticamente todos que postaram comentário sobre esse texto. Além disso Ana Maria Moura Schaffer, que comentou no seu e-talk é nossa Coordenadora, e foi por meio dela que conhemos seus textos.
Sobre o Tradutor Profissional, concordo com você, e acredito que esse seja um título próprio, pois dá credibilidade ao tradutor. Ao ouvir Tradutor Profissional, já imagina-se que ele cobre por seus serviços, mas embora tenha que pagar pelo menos existe a segurança de que se é profissonal nessa área não seja feito um trabalho sem compromisso, ou o tradutor acabará, em pouco tempo fora do mercado.
Bom, esse foi mais um dos textos que vale ser lido e comentado!
Obrigada pelo texto, experiências valem mais que palavras!

Fernanda do Amaral Guimarães disse...

Quando comecei o curso de tradução e interpretação, pensava em ser somente tradutora e intérprete, mas depois de dois semestres penso diferente.O mercado de trabalho nessa área é muito restrito, não sei se é porque essa é uma profissão que está se desenvolvendo agora, pois eu não conheço muitas faculdades que ofereçam esse curso e há muitos amadores sem diploma.Por isso penso em ter um emprego fixo de professora pois decidi fazer letras também já que minha faculdade oferece essa possibilidade.
Na verdade acho que tenho medo de ficar desenpregada e por isso recorro a um outro diploma para que eu tenha um emprego mais garantido do que o de tradutor e intérprete. Se você puder aconselhar-me, seus conselhos serão bem vindos!!!!
Obrigada pela atenção!!!

Gabriela Carvalho Mendes disse...

Olá Danilo
queria dizer que concordo com o que você disse. Tem muitas pessoas que podm ser tradutores, mas não entendam totalmente sobre tradução! Nós gastamos tempo e dinheiro como você disse para que nós possamos aprender e melhorar nossas traduções e acho certo ser chamado de tradutor profissional!

Aron Affonso Volante disse...

Olá, Danilo!

Parece que tenho tomado bastante do seu tempo "postando" comentários em seu blog.
Interessante a colocação sobre os músicos.
Picaretagem encontraremos em todos os lugares, até mesmo entre os profissionais, o que dirá dos semi ou amadores!
Pergunta: Danilo, como você vê o campo da tradução hoje? Se você tivesse o poder para mudar algo, o que poderia ser feito em sua opinião para melhorar?
Para que fossemos, os Tradutores Profissionais, reconhecidos como tal?
Abraços
063.090
aron_utah

Marlon Vicente Stefan Geraldo disse...

Interessante pensar por esse lado.
Seja um medico, advogado, padeiro, mecanico ou tradutor, deve-se fazer o melhor. Ter o infinito como alvo e sempre buscando novas maneiras de conquistar espaço.
levando em consideração que todo investimento é decorrente de custos, tempo e muitos outros esforços, o profissional tem mesmo que mostrar a sua cara para o mundo, como alguém capacitadíssimo para trabalhar na sua respectiva área.
O legal disso, e vc ter a capacidade de suprir e ir muito além do que o cliente espera.
Abraços Danilo!

Anônimo disse...

Ola Danilo, o tradutor tem que sempre lembrar que a maior parte de sua vida vai passar traduzindo, então tem que fazer valer a pena e não traduzir por traduzir, tem que gostar.
Danilo gostaria de saber como esta a competividade entre os bons tradutores no dia de hoje?
Obrigada!

bill ... disse...

Bem sou novo por aqui e penso o seguinte tradutor profissional...
se vc exerce uma função com capacidade a exercelo de uma forma competente... VC é Proficional...
O quanto é profissional depende de suas experiencia...
^^
Então...
acho que se vc se denomina TRADUTOR PROFISSIONAL... claro... TEM que vender seu peixe e conseguir seus beneficios...
Enfim.
Abrigado pelo o espaço e Espero que suas atividade profissionais não subão a cabeça.
quanto ao resto do planeta agradecemos ao competente da area que anonimamente ou não SE denomina TRADUTOR PROFISSIONAL...

Albert de Oliveira Silva disse...

Bem, o que percebo sobre a nessecidade de afirmação profissional do tradutor, é que, diferente do médico ou do advogado citados, qualquer um pode "treinar" tradução usando um "dicionarinho escolar bilíngüe michaelis,(que aliás diz que
-impressionante- em inglês é impressing) e traduzindo frases desgastadas do dia a dia como
"I love you" ; mas, como treinar cirurgia ou direito sem ter tido um mínimo contato com o curso específico!? um abraço e aguardo respostas.

Simone Franco de Andrade disse...

Olá Danilo,
gostei da maneir como você explica a necessidade dessa afirmação de tradutor profissional. é claro que todo profissional que investiu para que fosse reconhecido como tal gosta quando isso acontece. e porque com tradutor haveria de ser diferente. Mas porque a menção de profissional, para diferenciar um profissional da área de tradução que investiu dos que são amadores ou semiprofissionais, enquanto não se age dessa maneira em qualquer área profissional? ainda falta reconhecimento por parte da sociedade para com os tradutores profissionais?

suellen vaz disse...

sim se for pra ser o melhor que seja o tradutor profissional...
cria um certo respeito, engrandece o tradutor......
mas se for pra ser o profissonal que seja o melhor,que tenha consiencia que o traduçao é pra todos mas o tradutor nao,leva-se anos de dedicaçao e estudo...

Bruna G. Luiz disse...

Realmente aqui no Brasil o reconhecimento dos tradutores está muito difícil ainda, mesmo porque essa área é nova e também porque muitas pessoas não conhecem sobre o nosso trabalho.
Quanto a sermos chamados de profissionais, é claro que qualquer um que investiu para que fosse reconhecido como tal gostaria que isso acontece.

adriana brasil gomes disse...

Acredito que o “tradutor profissional” é na verdade o tradutor que vive literalmente de tradução, que é graduado em Tradução. Pois muitas pessoas por terem um inglês fluente e algumas delas já terem morado fora do país, se aventuram em fazer traduções, e não sabem lidar com as teorias, éticas tornando-se “tradutor amador”, e desvalorizando o verdadeiro tradutor, então vem a palavra “profissional”, vulgo “tradutor profissional”.

Anônimo disse...

Bom, como muitos já mencionaram aqui, todos que estão na área de tradução, querem se tornar um dia um bom profissional.Concordo com alguns aqui que tradutor profissionais, são aqueles que vivem somente traduzindo, que tem paixão e sabem fazer bem o seu trabalho, é preciso conhecimento e aprendizagem.
Laila Meliga dos Reis
ra:041406

Regiane de Cássia Lopes disse...

Entendo que você caracteriza como tradutor profissional aquele que não só desempenha integralmente a atividade, mas também dedica amor, tempo e dinheiro à ela. Será que a distinção tão somente ocorre por que o mercado não exige um tradutor graduado? Já que o mesmo não ocorre com outras profissões, como por exemplo, a de advogado, onde a pessoa só começa a advogar depois de ser graduado e de ter sido aprovado pela OAB, ou ainda o médico que só leva o título se tiver uma credencial e ter cumprido residência.

Flavia Carolina Vicente disse...

Ola..Danilo td bem?
Muitas pessoas perguntam, "você faz tradução", mas a resposta, "sou tradutor profissional" é a melhor resposta para dar depois da formação. Muito interresante.

Fernanda Guimarães disse...

Oi!!Bom, estou no terceiro semestre do curso de tradutor e intérprete mas acho que o mercado de trabalho está meio fraco para os tradutores, talvez eu esteja equivocada, mas estou fazendo letras tbm, assim terei um emprego fixo, o de professora.Pretendo traduzir nas horas vagas, seu texto falou que um tradutor profissional tem que traduzir como sendo seu emprego prioritário e por isso fiquei meio pensativa a esse respeito.Será que assim eu não estarei sendo uma tradutora profissional? Será que estarei "traindo" o meu diploma? Você pode me aconselhar?

Alexys SouL4PraisE disse...

Concordo plenamente com você Danilo... Especialmente porque mesmo sendo amador, acredito que minhas traduções tenham qualidade, ainda assim, devo admitir que realmente há trabalhos que somente podem ser executados por profissionais! Pessoas que tenham uma visão mais ampla do que daonde eu posso enxergar, linguisticamente falando.

Taís dias disse...

É que muitas vezes nós como tradutores podemos realizar nossa profissão durante os anos de curso desde o primeiro em diante, se soubermos já traduzir bem...podemos fazer vários trabalhos com remuneração para qualquer pessoa...colocamos um preço conforme o que nos pedem, já o profissional tem o seu preço tabelado ficando bem mais sério e caro o trabalho..assim é uma tradutor profissional, com bem mais exigéncias...e assim se pode dizer tradutor profissonal aquele já graduado...

Andrea M. O. Padovini disse...

Olá Danilo....
Bom, realmente traduzir não é como "brincar de bonecas", penso que um bom trabalho só poderá ser feito por um Tradutor Profissional, pois, como o nome já diz é a sua profissão, o que estudou e ainda busca aperfeiçoamento daquilo que faz e não uma atividade para ganhar dinheiro nas horas vagas, como um "bico".Acho que é muito importante fazer esta distinção sim, não desmerecendo os amadores, mas devemos nos valorizar pelo esforço que tivemos pra ser um Tradutor Profissional.

Vivian H. Pasini disse...

Por enquanto, sou tradutora amadora. Traduzo por hobby... Mas daqui alguns anos, as coisas vão mudar e eu não deixarei barato. Tradutora e profissional! Temos que nos valorizar para que os outros nos valorizem.